Artigo de Opinião: Psicóloga Sandra Catarina Rolim

O café da manhã, hoje, deixou algumas reflexões que gostaria de compartilhar com vocês. Do quanto nos preocupamos com a saude física e negligenciamos a emocional. Dias como estes, que nos colocam em contato íntimo tanto conosco, quanto com nossos familiares, podem ser “torturadores“ se não acentuarmos os cuidados com nossa saúde emocional.

Não podemos simplesmente encerrar uma discussão batendo as portas. Teremos que ficar e resolver com cabeça fria e bom senso os conflitos. O momento não está permitindo, que encarreguemos ao tempo a resolução dos problemas com aqueles com os quais teremos que necessariamente conviver confinados.

Proponho então algumas dicas que poderão ajudar:

Nunca conheceremos o outro em sua plenitude. Somos complexos e sempre nos surpreenderemos negativa ou positivamente com alguém. Abrir -se para esta possibilidade que apesar de óbvia nos causa estranhamentos, nos poupa de raivas, frustrações e desapontamentos.

Não leve a sério fatos irrelevantes ou que de imediato nada possa acrescentar a vida no momento presente. É hora de investir no que tenha “senso de vida” e a preservação dela. Todo o resto neste momento é IRRELEVANTE.

Não é hora de disputas de ego, posições políticas ou poder. Abra-se para ouvir o diferente e acolher novas formas de pensar. Lembre : o que acreditamos levou uma vida para ser construído e não será desfeito por um desejo ou capricho nosso. A mudança demora o tanto que uma crença levou para ser construída.

Lide bem com suas subjetividades. Se percebes distorções tenta assumir e mudar, se tens convicções e certezas dê tempo ao outro para que te perceba e acolha. Lembra : ninguém muda ninguém. Nem Deus quis pra si esta responsabilidade.

E por ultimo e não menos importante percebestes que não estás sozinho no mundo e que tuas ações implicam diretamente na saúde física e mental dos outros. Então, muda,faz tua parte com responsabilidade, respeito e amor. Como já dizia o “pensador”o mundo muda com a mudança da mente, é na mudança da mente que o mundo anda pra frente.

Então: o momento pede transcendência pessoal e emocional. É assim que sairemos mais amadurecidos destes desafiadores dias. Cuidem-se! Cuidem do corpo e da alma com a mesma proporção e intensidade.

Psicóloga Sandra Catarina Rolim