Alerta é da ASBRAV-Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento

Desde o início da pandemia do coronavírus, a ASBRAV-Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento tem chamado a atenção para o tema. No cenário atual de agravamento dos índices de contaminação e superlotação de hospitais, o assunto ganhou ainda mais relevância. A recomendação geral é de nos mantermos afastados de locais lotados e mal ventilados, reforça o diretor técnico da ASBRAV, engenheiro, Ricardo Albert.

“Em edifícios sem sistemas de ventilação mecânica é recomendado abrir as janelas operáveis (mesmo mais do que o normal, apesar de causar algum desconforto térmico). A ventilação pelas janelas é, nestes casos, a única maneira de aumentar as taxas de renovação de ar. Em edifícios com ventilação mecânica, o arejamento promovido pela abertura de janelas pode também ser usado para aumentar a taxa de ventilação”, explicou.

Um outro aspecto a ser observado são ambientes de saúde, nos quais é indispensável uma orientação de um profissional e empresa especializados no assunto.

“Janelas abertas nas instalações sanitárias com ventilação natural ou mecânica podem originar correntes de ar contaminado da instalação sanitária para outras áreas, i.e., funcionando em sentido contrário do que se deseja. Nesses casos, as janelas abertas devem ser evitadas. Se não há um sistema de ventilação adequado nas instalações sanitárias e a ventilação por janelas não puder ser usado, é importante manter as janelas abertas nos outros espaços, de forma a conseguir escoamentos de ar cruzados através do edifício”, ressaltou.