Matéria Destaque – Revista ASBRAV

Os equipamentos do tipo Split revolucionaram o conceito de conforto e climatização no início dos anos 2000. A separação do ar-condicionado em unidade interna e externa foi um grande boom no setor. Porém, uma outra revolução, tomou corpo e a cada ano vem se consolidando no mercado: a tecnologia Inverter. Entre os grandes diferenciais estão o baixo consumo de energia elétrica e a alta eficiência.

 

O compressor inverter pode resfriar e aquecer o ambiente por atingir velocidades mais altas do que o convencional. Possui um funcionamento silencioso, pois uma vez estabilizada a temperatura, o compressor trabalha em baixa rotação.

 

– Os condicionadores com compressor com capacidade de resfriamento fixa controlam a temperatura interna ligando e desligando o compressor. Teoricamente os equipamentos trabalhando a 100% de sua capacidade apresentam o mesmo consumo (eficiência) das unidades similares com tecnologia Inverter. Um sistema de climatização com tecnologia inverter, significa que o sistema modula a capacidade térmica conforme a demanda térmica real dos ambientes atendido. Essa modulação da capacidade pelo sistema de climatização é obtida através da utilização do compressor com motor inverter (com inversor de frequência para modulação da rotação) e com Válvula de Expansão Eletrônica (VEE) – explica o diretor técnico da ASBRAV – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação, Ricardo Albert.

 

 

A economia de energia é importante, porém é preciso fazer algumas ressalvas do ponto de vista do uso do aparelho, sob o risco do usuário não conseguir a eficiência desejada.

– É importante observar que para se atingir o melhor desempenho e real redução do consumo de energia, é fundamental que o Equipamento esteja corretamente dimensionado e sua temperatura ajustada para a faixa de conforto (23oC – 26oC). Se o equipamento estiver sub dimensionado ou com temperatura regulado abaixo de 22oC irá trabalhar sempre a 100% de sua capacidade não apresentando nenhuma vantagem de redução de consumo de energia em relação a uma unidade convencional – completa Ricardo.

Climatização

Com um sistema de funcionamento distinto dos equipamentos de ar-condicionado convencionais, o equipamento do tipo “inverter” também exige atenção especial com relação ao fluido refrigerante para que ele possa oferecer um desempenho de climatização e consumo de energia mais satisfatórios. O principal cuidado que o técnico deve ter é aplicar o R-410 em fase líquida, com o cilindro de cabeça para baixo. Por tratar-se de uma mistura entre dois elementos, desta forma o fluido mantém as suas características originais e sua fórmula equilibrada no processo de transferência de um recipiente para outro.

 

apoiadores desta edição: JCH e Senai