Sistemas de climatização adequados e com correta renovação do ar são importantes no combate a propagação de doenças respiratórias como o coronavírus e outros

A disseminação de casos do Coronavírus (COVID-19) trouxe à tona a preocupação com a qualidade do ar em ambientes internos. O tema vem despertando a atenção da Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar condicionado, Aquecimento e Ventilação (ASBRAV) uma vez que os ambientes fechados por conta da necessária climatização exigem, cada vez mais, cuidados que incluem projetos adequados e com correta renovação do ar.

“A Lei Federal 13.589 estabeleceu a obrigatoriedade do Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC). Este projeto trata de um assunto de saúde pública e foi estruturado pensando nos benefícios que um Ar Interno qualificado traz a população, não só evitando doenças, mas avançando a qualidade de vida da sociedade. A legislação estabelece procedimentos para verificação do estado de limpeza, conservação e manutenção da integridade dos sistemas de climatização”, explica o diretor da Qualidade do Ar da ASBRAV, Mário Henrique Canale.

Desde meados do ano passado, a ASBRAV atua junto ao legislativo municipal de Porto Alegre para que seja criada uma lei municipal. O projeto está em tramitação.

PMOC

O Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) define procedimentos e rotinas de manutenção e higiene que proporcionam a melhoria da qualidade do ar interior além de economizar energia elétrica. Complementar ao Plano, são realizadas análises da qualidade do ar com intuito de determinar se o ambiente climatizado está de acordo com os padrões de temperatura, umidade e fungos e se a ventilação está adequada.

A ventilação forçada, com sistema eficiente de filtração, é fundamental para que os gases e microrganismos emitidos por nós, sejam diluídos com o ar de Renovação (externo).

Em nota oficial a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA) também se manifestou sobre o tema destacando que nas instalações de ar condicionado mais comuns existem filtros de ar, cuja função é reter partículas sólidas e líquidas, e filtros de mediana eficiência que retêm essas partículas. Os vírus quando existentes no ar são transportados por essas partículas. Neste sentido, impedindo a passagem dessas partículas, impede-se a chegada dos vírus e bactérias ao ambiente.

 

Para aplicações especiais existem filtros de alta eficiência, os chamados filtros hepa (high efficiency particulate air filter) que retêm particulados de dimensões de 0,3 micra com eficiências de até 99,97%. Por isso, a utilização de baterias de filtração, tanto nos sistemas de recirculação como nos sistemas de renovação, ajuda em muito na manutenção da concentração de particulado em níveis mais baixos, colaborando assim com a diminuição da contaminação.

Deve-se também, manter os sistemas de renovação de ar em condições adequadas, ou seja, diluindo e removendo poluentes dos ambientes climatizados, cujo resultado obtido será a redução do risco de contaminação para uma série de doenças transmissíveis pelo ar, inclusive as virais. Verificação de todos os sistemas de renovação e tomada de ar externo, que estejam limpas, operacionais, com vazões adequadas, filtros de ar em boas condições ,bandejas de condensado limpas e com boa drenagem, ventiladores e serpentinas limpos, e em bom estado, são fatos que, com certeza irão contribuir para a melhora do ar respirado em ambientes climatizados, garantido desta forma, um ar mais limpo e uma melhor qualidade.