Entrevista: Diogo Prado, diretor-geral da Trane do Brasil

O cenário da Pandemia trouxe uma nova realidade para empresários e profissionais do setor de HVAC&R. As ações envolvendo o mundo digital tornaram-se fundamentais para aprendizado e qualificação profissional, tão importante para o setor. A Revista ASBRAV conversou com o diretor-geral da Trane do Brasil, Diogo Prado.

1. Para a empresa, quanto é importante o profissional manter-se atualizado valendo-se das ferramentas digitais?

Hoje em dia, com todos os impactos impostos pela pandemia e restrições de aglomerações, as ferramentas digitais têm sido essenciais para o aprendizado contínuo e atualização sobre as melhores práticas dos profissionais do setor. A Trane vem atuando, de forma efetiva, no desenvolvimento de canais de comunicação e na disponibilidade de informação pertinente para o momento, a fim de suportar o mercado. Nossa atuação nas ferramentas é com o intuito de nos aproximarmos ainda mais de clientes, parceiros e de nossos profissionais. Desde o início da pandemia no Brasil, a Trane realizou inúmeras transmissões ao vivo no Instagram, que abordaram diversos temas. A programação trouxe assuntos como finanças pessoais e para pequenas e médias empresas, alternativas para o mercado de ar-condicionado e a importância da comunicação e marketing em tempos de crise. Também há duas webséries no canal do YouTube: Compartilha Trane e Trane + Você.

Exclusivamente para nossos colaboradores, desenvolvemos treinamentos virtuais com o intuito de continuarmos com a capacitação e desenvolvimento do nosso time como, por exemplo, da empresa Sandlers para nossa equipe de vendas, os treinamentos de Excelência em Vendas para gestores e vendedores, treinamentos dedicados para nosso público feminino e, também, comunicação frequente de uma série de treinamentos disponíveis em nossa plataforma de ensino remoto, o LMS. Seguimos ainda com nossas agendas de treinamentos de EHS para nossos técnicos de campo e lançamos um newsletter mensal com as principais informações da empresa.

2. Os sistemas de climatização são um elemento importante na prevenção não só da COVID, mas de outras doenças respiratórias. Como esse tema vem sendo abordado junto aos profissionais do setor e a população em geral?

Acreditamos que houve uma mudança de percepção. No início da pandemia no Brasil, as pessoas acreditavam que os ambientes que tivessem ar-condicionado poderiam atuar a favor da propagação do vírus. Agora, com as informações sobre as tecnologias disponíveis disseminadas, a tendência é que tecnologias eficientes para inativação de vírus e bactérias sejam implementadas em maior volume nos sistemas de ar. As lâmpadas UV, por exemplo, emitem radiação eletromagnética e, com o tempo e dosagem suficientes, esta radiação pode inativar vírus e bactérias no fluxo de ar.

Para o setor, uma renovação e fortalecimento das necessidades de seguirmos normas, regulamentos, leis e as melhores práticas em qualquer tipo de aplicação, garantindo a segurança e saúde de nossos clientes e usuários de nossos sistemas. Oferecemos também soluções de serviços remotos e inteligentes, soluções temporárias, bem como soluções de upgrade de sistemas e análises de qualidade do ar interior, mantendo o melhor desempenho e custo operacional ao longo do ciclo de vida de seus empreendimentos.

Continuamente desenvolvemos produtos e serviços inovadores para nossos clientes, que agora recorrem a nós para obter ajuda com a qualidade do ar interno e gestão de energia em edifícios. Seguimos reforçando as melhores técnicas e inovações para a mitigação da disseminação do Covid-19 e endereçando riscos à saúde, sejam elas nascidas no projeto, no upgrade de sistemas existentes e também nas manutenções de instalações, explorando-se os quatro principais impulsionadores da qualidade do ar interior – Diluição, Exaustão, Contenção e Limpeza -, nos edifícios conectados, serviços inteligentes e digitais, soluções temporárias e mantendo-se também o foco na redução da intensidade energética dos sistemas.

3. A pandemia da COVID-19 afetou praticamente todos os setores e o HVAC&R não foi diferente. Como a empresa procurou lidar na relação com os clientes e parceiros a partir de todas as restrições que foram necessárias?

A pandemia do coronavírus teve amplo impacto nas economias em todo o mundo, o que afetou muitas empresas e setores de diferentes maneiras e nosso setor não foi diferente. Entendo que o maior aprendizado é relativo à necessidade contínua de nos reinventarmos e de buscarmos maneiras criativas de atender às demandas e necessidades de nossos clientes e parceiros, e resiliência para superarmos obstáculos que estão fora de nosso controle, mantendo o foco no que conseguimos controlar. Desenvolvemos produtos e serviços inovadores para nossos clientes, que agora recorrem a nós para obter ajuda com a qualidade do ar interno e gestão de energia em edifícios e residências. Agimos de forma criativa na maneira como nos comunicamos com o mercado, implementando treinamentos e webinars para clientes com foco na disseminação de conhecimento técnico e intensificamos a nossa atuação nas mídias sociais.

4.Como foi o desafio de procurar manter níveis elevados de qualificação profissional sem a possibilidade de cursos e treinamentos presenciais?

Disponibilizamos a todos os profissionais do setor acesso gratuito à nossa plataforma Trane Education Center (TEC) em que há uma série de cursos. Lançamos também, recentemente, mais um canal que é o TraneCast, o podcast da Trane disponível no Spotify. Criamos ainda o credenciamento online para técnicos nas linhas de Mini-Split e Splitão OASIS. Como também lançamos a Liga Trane, uma campanha de bastante impacto na capacitação de profissionais no mercado.