Revista ASBRAV – Opinião

Novos modelos de negócios, uma nova economia surgindo, propósito, impacto, negócios exponenciais, disrupção. Esses são alguns atributos que podemos incluir no cenário atual impactado pelas startups. Novas tecnologias mudando a vida das pessoas, os empregos, o nosso presente e o nosso futuro. Bem-vindos à nova economia e ao mundo das startups.

A partir de 2016, vivemos a 4ª revolução industrial, uma revolução digital com novos modelos de negócios disruptivos utilizando tecnologias como internet das coisas, inteligência artificial e também o impacto das moedas digitais. Podemos falar ainda de uma revolução biológica, com novas tecnologias para diagnósticos e tratamentos e a engenharia genética, e, por fim, uma revolução física com carros autônomos, impressão 3D, robótica e novos materiais. Os avanços são muito rápidos e a cada dia temos novos produtos e serviços sendo lançados pelos grandes players mundiais de tecnologia e, principalmente, por startups nascentes.

Estamos em um novo mercado de consumo, movido pela experiência, onde o principal é usar essas experiências para melhorar a vida das pessoas. Nesse contexto, as empresas começam a competir por experiências e as pessoas cada vez exigem ou querem mais. Uber, AirBnb, Waze são exemplos de startups que surgiram e trouxeram exatamente este ponto como principal e investiram na experiência do cliente e também na economia do compartilhamento que cada vez tem mais mercado.

Outro exemplo de modelo de negócio disruptivo é a Tesla, que já ultrapassou o valor de mercado da Ford e GM nos EUA, produzindo carros elétricos com tecnologia open source (aberta). A Tesla também lançou recentemente seu caminhão elétrico com autonomia de, em média, 700 km, o que representa uma evolução neste tipo de meio de transporte.

Segundo pesquisas recentes, 60% dos jovens estão estudando para profissões que vão deixar de existir e os empregos não serão os empregos de hoje. Novas profissões irão surgir e muitos empregos irão desaparecer em virtude da adoção de novas tecnologias, como inteligência artificial, e dessa nova economia que está se formando. Nesse sentido, deve-se dar mais ênfase às habilidades digitais e ao empreendedorismo.

E por que as startups estão mudando o mundo? Porque elas estão olhando para problemas reais exponenciais, para entregar experiências aos clientes, para as oportunidades de uma economia colaborativa onde as pessoas interagem e contribuem, negócios com propósito, onde as pessoas estão comprando mais valores do que necessidades. A forma de fazer negócios não é mais a mesma, essa é a nova economia. O futuro já chegou!

Debora Chagas
Coordenadora Estadual da Startups e Economia Digital do SEBRAE RS