Promovido pelo grupo Gurias da Politécnica, da Escola Politécnica da PUCRS, em parceria com a Sociedade Americana de Engenheiros de Aquecimento, Refrigeração e Ar Condicionado (Ashrae), evento defendeu a presença feminina no mercado de trabalho e no meio acadêmico

 

 

Ao longo de quinta e sexta-feira, o auditório do 5° andar, do prédio 32 da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), é palco de um evento dedicado a fortalecer a presença das mulheres no mercado de trabalho, exercendo cargos de liderança e inspirando outras mulheres. Na abertura, que ocorreu às 9h30min, a presidente do Women in Ashrae no Brasil e diretora do Sindratar-SP, Viviane Nunes, salientou a necessidade do diálogo aberto e de se compartilhar experiências pessoais e profissionais.

– O setor do HVACR, se moldou e assim se manteve, formado por homens em sua maioria. Eventos como este, levantam o debate e nos fazem refletir o porquê deste cenário, mostrando que é possível uma atuação feminina neste mercado  – explicou.

Para a assessora de comunicação da ASBRAV – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação, Cristiane Paim, a pauta da representatividade feminina diz respeito a todos e é um dever da sociedade promove-lá.

– Precisamos nos unir e informar a homens e mulheres qual a verdadeira pauta do feminismo, que é a equidade, e o quanto a inserção de mulheres nos cargos de gestão só tem a contribuir para o crescimento das organizações. Estudos mostram  que empresas com 30% de liderança feminina podem adicionar até 6% a sua margem liquida.

O Grupo Gurias da Politécnica é uma iniciativa das alunas Andressa Ullmann e Litiéle dos Santos, do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Tecnologia de Materiais (PGETEMA), e Roberta Ferrari, do curso de Engenharia Mecânica, que buscam incentivar mulheres a participarem dos cursos de ciências exatas e tecnologias, dominados em sua maioria por homens.

– Não é incomum, nas vagas de estágio desta áreas lermos os dizeres “preferencialmente sexo masculino” e isso frusta muitas alunas que desejam seguir este caminho. Por isso, as figuras femininas de grande representatividade são fundamentais, pois elas existem e servem de exemplos a outras mulheres – ressaltou Litiéle.

O evento é aberto ao diálogo e todas as apresentações são seguidas de contribuições da plateia. Ao longo da sexta-feira, as palestras seguem e a programação pode ser conferida no site https://bit.ly/2pej9V5