Palestra do economista Alfredo Meneghetti provocou a análise do cenário atual e os desafios a serem enfrentados para 2016.

Palestra do economista Alfredo Meneghetti provocou a análise do cenário atual e os desafios a serem enfrentados para 2016
     A retração da economia brasileira e gaúcha atinge todos os segmentos     e com os setores representados nos setores de refrigeração, ar  condicionado, aquecimento, e ventilação, não é diferente. O que torna o  setor mais imune é o fato de que novas tecnologias auxiliam na redução  da energia elétrica, hoje considerado um dos elementos mais importantes  em qualquer programa de redução de custos. O tema foi trazido pelo  economista da Fundação Estadual de Economia e Estatística (FEE),  professor da PUCRS e conselheiro do Conselho Regional de Economia  do Rio Grande do Sul (Corecon/RS), Alfredo Meneghetti Neto, na noite  desta segunda-feira (24/08), na sede da ASBRAV – Associação Sul  Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação.
 – A redução de custo para o empresário é fundamental. A climatização  está muito relacionada a energia elétrica e, não há dúvidas, que  investimentos em estrutura e novas tecnologias são importantes aliados  nesse processo – afirmou.
O tema central da palestra mostrou quatro ameaças que afetam a economia do Rio Grande do Sul. Uma delas é a balança comercial, na qual não há um equilíbrio entre exportação e importação. O modelo atual provoca desindustrialização representada no fato, por exemplo, de aumentar quase 3 vezes nos últimos anos o volume de componentes importados, especialmente da China. A dependência do clima é outro desafio ao estado gaúcho, dependente em mais de 40% do setor agropecuário. Os problemas na relação com o Governo Federal também prejudicam a economia. A quarta ameaça apresentada foi o prejuízo no desempenho devido à grave crise das finanças públicas.