Diretor técnico da Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação (ASBRAV), Ricardo Vaz esclarece mitos e verdades sobre a tecnologia

Quem procura “ar condicionado econômico” na internet, logo encontra muitos textos falando sobre a tecnologia inverter. Alguns sites também indicam este sistema para quem quer um produto ecológico. Mas será que os equipamentos equipados com esta tecnologia são realmente mais econômicos e ecológicos? Diretor técnico da Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação (ASBRAV), Ricardo Vaz esclarece mitos e verdades sobre o inverter e explica o seu funcionamento.
Vaz destaca que, diferente do que a maioria das pessoas acredita, o inverter não é um tipo de ar condicionado e sim uma tecnologia que pode estar em todos os tipos de aparelhos ar condicionado. Os equipamentos comuns possuem conjunto motor compressor com velocidade fixa que desliga quando a temperatura desejada é atingida, e liga novamente quando a temperatura do ambiente atinge valores fora do intervalo de conforto definido.
– Já um aparelho que possui sistema inverter utiliza um inversor de frequência que modula a velocidade do motor do compressor, ajustando-a conforme a demanda. Ou seja, ele acelera e desacelera conforme necessário para manter sempre a temperatura escolhida. Além disso, ele também opera em baixa potência, evitando picos de consumo de energia – explica Ricardo Vaz.
Uma das dúvidas esclarecidas pelo diretor técnico da ASBRAV é sobre o mito desta tecnologia ser 100% ecológica.
– O inverter utiliza um fluido ecológico que não ataca a camada de ozônio. Porém, não pode-se dizer que é totalmente ecológico, porque muito dos seus componentes não são ainda recicláveis após o fim da sua vida útil – esclarece Ricardo.
Outras pessoas acreditam que o processo de ligar e desligar pode gastar menos energia do que deixá-lo ligado correntemente, o que não é verdade. Ricardo Vaz ressalta que, quando o ar condicionado liga e desliga muitas vezes, o consumo de energia aumenta. Nos modelos mais modernos, com a tecnologia inverter, ao atingir a temperatura desejada, o compressor diminui a velocidade da rotação, mas não desliga totalmente, mantendo a temperatura desejada. Assim, consome menos energia ao evitar picos de consumo derivados do processo liga-desliga.