Revista ASBRAV – Artigo apresentado no Mercofrio 2018

O propósito deste artigo é o de mensurar os efeitos de lâmpada UV-C nos equipamentos de refrigeração difundidos do Brasil. Especificamente em serpentinas de resfriamento para uso comercial (câmaras frias), onde serão apre-sentados os efeitos do uso de lâmpadas UV-C na eficiência energética dos equipamentos. Com a colocação da lâmpada melhorou em muito o rendimento de troca do aletado, devido a mudança de trajeto do ar, houve uma leve diminuição de vazão de ar (algo próximo de 3%). Em contrapartida a limpeza do biofilme da serpentina melhorou a troca de calor. Os resultados da serpentina sem UV-C foram realizados após 04 dias de uso contínuo da lâmpada. O analisador de energia trifásico aferido mensurou um consumo um pouco maior que com a lâmpada, isto foi compensado pelo melhor rendi-mento, ou seja, COP foi de 13,5 %. É verdade que uma limpeza na serpentina teria um efeito melhor pelo fato de não gerar a perda de carga da lâmpada e o consumo de 15W dela. Mas enquanto a limpeza tem efeito mensal (ou anual), a lâmpada tem a possibilidade de efeito contínuo.

Autores:

Engenheira Esp. Andressa Paes Pereira – andressa_paes@yahoo.com.br.

Faculdade Profissional – FAPRO.

Me. Alexandre Fernandes Santos (Apresentador) – projetos.etp@gmail.com.

Mestre em Engenharia LACTEC-UFPR; Professor Fapro (Faculdade Profissional); Doutorando UBI (Universidade Beira Interior-Portugal).

Me. Ariel Dov Ber Gandelman – arielgandel-man@hotmail.com.

Mestre em Engenharia Mecânica e de Materiais – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR e Engenheiro Mecânico UTFPR Campus Curitiba. Professor Fapro-Faculdade Profissional.

Esp. Heraldo José Lopes de Souza – heraldosouza1@gmail.com

Faculdade Profissional – FAPRO.

Confira aqui o artigo em sua íntegra