Equipamentos de ciclo reverso oferecem conforto térmico de ambientes domésticos e corporativos
Vidros embaçados, paredes úmidas e pisos molhados. Este cenário, comum nas estações mais frias do ano, pode provocar a proliferação de bactérias e estresse térmico. Com o objetivo de oferecer soluções para a alta taxa de umidade do ar, muitas empresas têm desenvolvido tecnologias que garantam maior conforto nos ambientes de convívio. O mais indicado é o ar condicionado de ciclo reverso, conforme aponta o diretor técnico da ASBRAV – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação, Ricardo Albert.

– O sistema de ar condicionado possui capacidade de retirar a umidade absoluta (quantidade de água no ar), elevando a temperatura e corrigindo a umidade relativa. Em um ambiente, por exemplo, com temperatura de 7°C e 98% de umidade, ao elevar 22°C, é possível atingir uma umidade relativa de 55%, que encaixa-se no que é considerado ideal em ambientes onde as pessoas vivem e trabalham – explica Albert.

Portanto, a recomendação para o controle do clima é o uso de sistemas de ar condicionado com tecnologia inverter, do tipo ciclo reverso. As resistências elétricas são contraindicadas, pois reduzem a taxa de oxigênio no ar e possuem baixa eficiência energética. Além disso, é importante garantir a qualidade interna do ar através de uma correta renovação no ambiente, o que pode ser previsto pelo correto posicionamento do sistema.

Ainda de acordo com o diretor técnico da ASBRAV, as altas taxas de umidade propiciam a proliferação de fungos, bactéris e mofo, além da possibilidade de degradar as construções como paredes, rebocos e forros falsos e dissolver o concreto.