Empresas do setor apostam na tecnologia dos equipamentos como estratégia para amenizar o desaquecimento da economia.

As empresas dos segmentos de refrigeração, ventilação e ar condicionado apostam na tecnologia como um aliado para tentar manter as vendas em patamares razoáveis, mesmo diante de um cenário de desaquecimento. O que seduz o consumidor é que novas tecnologias como o sistema “Inverter”, trazem uma redução significativa no consumo de energia elétrica. Especialistas da ASBRAV – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação apontam que a economia no consumo pode chegar a até 60%, comparado com um sistema tradicional.
– Percebemos em média uma redução no volume de vendas de aproximadamente 15% em relação ao ano de 2014. Para os meses de verão, esperamos tentar manter os mesmos patamares de vendas. A gente sabe que, se houver uma reversão nesse cenário econômico, ela não será breve. Por isso trabalhamos com redução de custos onde é possível e procuramos mostrar isso ao consumidor – afirmou o gerente comercial da Dufrio, João Kist.
Outro fator que impactou as vendas é a elevação do dólar que deixou os equipamentos mais caros. A estimativa é que o preço tenha sido elevado em até 25%. Esse será o primeiro ano que a tecnologia “Inverter” será oferecida de forma massiva para a população para uso residencial.